Como economizar em Fernando de Noronha? 13 dicas práticas para gastar BEM menos!

O sonho de viajar para Fernando de Noronha pode ser perfeito para alguns, mas para muitos turistas esse sonho precisa ser adiado por alguns anos até que se tenha condições financeiras suficientes para aproveitar a viagem.

Entretanto, se sua viagem for bem roteirizada, você consegue economizar em Fernando de Noronha o suficiente para fazer grande parte do passeio turístico sem pesar no bolso.

E essa economia está nos detalhes! Com tantas informações disponíveis na internet, você pode calcular toda a sua viagem muito antes de realmente ir.

Neste artigo, separamos os pontos principais, que mais pesam no bolso e que podem ajudar a diminuir os custos do passeio se forem bem pensados e calculados.

As melhores 13 dicas para economizar em Noronha

Se você ainda não sabe como economizar em Fernando de Noronha, chegou a hora de aprender através das excelentes dicas mencionadas aqui.

Você saberá como reduzir gastos na hospedagem, com passagens, na alimentação e muito mais.

Confira agora a lista para aproveitar Fernando de Noronha gastando pouco!

1. Comece pelos voos

Existem duas companhias aéreas que levam os viajantes para a ilha do Paraíso: a Gol e a Azul. Ambas as companhias voam para Noronha e fazem escalas que podem partir de Recife ou de Natal.

Para os turistas que saem de São Paulo, acabam pagando muito caro pela passagem e, muitas vezes, torna a viagem dos sonhos inviável. Uma dica para isso é viajar até Recife ou Natal de ônibus – um pouco desconfortável e longa a viagem, porém mais barata.

Outra opção seria aproveitar para conhecer um pouco do Brasil. Alugar um carro e sair dirigindo todo o caminho até Recife ou Natal. Se forem duas pessoas, por exemplo, revezam a direção e ainda conhecem mais lugares para a coleção de aventuras. Muita gente adere a essa ideia.

Lembrando que em Noronha os voos chegam na hora do almoço ou no final da tarde. Se puder reservar com antecedência a sua passagem e escolher o horário, escolha o que chega mais cedo, assim você terá mais tempo para aproveitar a ilha.

Milhas e promoções

Durante o ano, existem promoções relâmpago e outras que acontecem esporadicamente. Fique sempre de olho nas promoções de passagens aéreas e também ative a notificação do trecho que deseja para ser notificado quando o valor diminuir.

Outra ideia são as milhas que ficam acumuladas devido às compras no cartão de crédito. Elas podem te render descontos na passagem de forma percentual ou até garantir o valor integral, se tiver sorte.

Quem não tem milhas, pode acessar sites que vendem milhas de outros usuários em um valor abaixo das passagens normais. Com as milhas e promoções, você já pode economizar um bom dinheiro.

2. Alta ou baixa temporada?

Se puder escolher, viaje na baixa temporada. Em alta temporada os preços sobem por causa da grande procura. Já na baixa, poucas pessoas viajam e é nesse momento que os valores caem.

A baixa temporada acontece de março a julho, quando ocorre o período de chuvas, mas não são todos os meses e você ainda pode aproveitar bastante.

3. Como economizar nas taxas?

Esse ponto é um pouco mais difícil. A taxa de preservação ambiental da ilha é diária e o preço custa,  atualmente, R$ 73,52 por dia. Essa taxa vai para o Governo de Pernambuco e é obrigatória.

Já a segunda taxa, referente ao ingresso do Parque Nacional Marinho e que custa em torno de R$ 106,00, é opcional. Ela vale por 10 dias e te dá acesso a todas as praias e piscinas naturais da ilha.

Entretanto, existem diversas praias e piscinas naturais belíssimas abertas ao público, sem a necessidade da taxa. Você pode criar um roteiro sem essa segunda taxa.

Esse roteiro pode incluir a Praia do Cachorro (veja mais), Praia do Meio, Praia da Conceição, Americano, Mirante do Boldró, Praia do Bode e Praia da Cacimba do Padre.

A Baía dos Porcos (veja mais), a Praia do Sancho (veja mais), a Praia do Leão, a Praia do Sueste e Atalaia ficam de fora.

4. Compare os preços dos pacotes de viagem

Antes de viajar, muitos visitantes fecham pacotes de viagem com diversas agências de turismo de Noronha.

Para se fazer trilhas e outros passeios, é obrigatório a presença dos guias em algumas delas e você consegue através da agência com antecedência, já que as vagas são limitadas.

A dica aqui é não fechar com a primeira agência que encontrar. Analise os preços do mercado e procure a que oferece o melhor custo-benefício da região.

Fique de olho nos descontos

Além de buscar o melhor custo-benefício, fique de olho nos descontos oferecidos ao longo do ano. Na época de chuvas, você pode conseguir ótimos descontos com as agências, pois é uma época de pouco movimento. Pode ainda garantir diversos passeios e atrações.

5. Tem solução para a hospedagem

Muitas pessoas acreditam que, por Noronha ser uma ilha pequena e ter um valor mais caro, é praticamente impossível conseguir uma hospedagem que caiba no seu bolso com orçamento reduzido.

Se você pensa assim, está muito enganado. Fernando de Noronha possui resorts, hotéis e hostels, além de pousadas bem em conta.

Existem hostels com diárias a partir de R$ 100 reais. Para aqueles que não se sentem confortáveis com um hostel, existem pousadas com diárias a partir de R$ 220 reais o quarto.

Floresta Nova, Floresta Velha e Vila dos Remédios, apesar de não estarem próximos, são ótimos bairros com diversas opções de hospedagens em Fernando de Noronha.

Faça diversos roteiros, com opções diferenciadas e compare qual seria o melhor lugar para o que você deseja conhecer.

Então, antes de viajar, pesquise e veja as avaliações de quem já foi ao lugar. Dessa forma, você saberá o que esperar e qual a escolha mais econômica para a viagem.

Procure locais fora dos pontos turísticos

Procure hospedagens fora da área central de comércio ou longe dos pontos turísticos, lugares assim costumam cobrar mais caro pela comodidade, por estarem próximos de tudo.

A Vila dos Trinta, por exemplo, é uma excelente opção, não tão longe da área central e com diversos lugares com preços abaixo do que é encontrado na grande maioria da ilha. Pesquise!

Invista em locais mais simples

Esqueça os resorts e lembre-se que você tem um paraíso natural para aproveitar, então, escolha um lugar em que seja confortável e seguro dormir. Procure algo que seja o mais simples possível e que ofereça o necessário.

Cuidado com algo simples e barato demais, pois uma noite mal dormida pode estragar seu humor e sua vontade de aproveitar tudo o que planejou, então, procure bem antes de confirmar a reserva.

6. Como economizar em alimentação na ilha?

A comida é sempre um ponto importante e essencial durante as viagens. Existem pessoas que viajam com o objetivo de fazer um circuito gastronômico em cada lugar. Se você deseja economizar, esse não será o seu objetivo.

Na área central da ilha, você encontrará diversos restaurantes, mas poucos possuem preços interessantes para o seu bolso. O ideal é investir em quentinhas no almoço e guardar um pouco de dinheiro para, pelo menos, um jantar ao pôr do sol.

Uma ótima dica para comer em Fernando de Noronha é o Restaurante do Jacaré.

Ele fica na Vila dos Remédios e oferece refeições no local a partir de R$ 38,00 por pessoa e quentinha que custa R$ 25,00 cada. A depender da quantidade de dias da sua viagem, essa pode ser uma boa opção.

Procure supermercados

Caso seja uma viagem longa, aposte nos supermercados. Para isso, tente reservar um local que possua uma cozinha disponível ou flats no Airbnb, por exemplo. Assim, você pagará bem mais barato que um restaurante.

7. Leve o que puder na mala

Todo mundo corre do famoso “excesso de bagagem”, mas pode ser que valha mais a pena pagar mais caro no excesso, levando lanches e garrafas de água, do que esperar para comprar na ilha.

Sim, Fernando de Noronha pode ser caro desse jeito. Diversos viajantes levam o máximo de comida possível para diminuir os gastos, mas atenção: Noronha está com o programa plástico zero, então, evite qualquer embalagem de plástico para não perder sua opção de comida barata.

Invista em garrafas que não são descartáveis, em lanches levados em potes retornáveis, entre outros. Existem diversas formas de conseguir ter um café da manhã e um possível jantar garantido.

8. O transporte deve ser bem calculado

Noronha possui uma BR que corta toda a ilha, a BR 363. Existem diversos tipos de transporte disponíveis: buggy, táxi, carro alugado, bicicleta e transporte público.

Caso você tenha vontade de andar de buggy, por exemplo, escolha um dia em que visite a grande maioria das praias e pontos turísticos, assim, você aproveita ao máximo o passeio no transporte.

Se houver um dia em que prefira não dirigir, vá de ônibus ou táxi. Você pode aproveitar o caminho e passear de bike ou caminhar um pouco, tirar um dia para não dirigir e passear de táxi, mas para economizar priorize o transporte mais econômico.

Outro transporte que você pode reservar antes mesmo de chegar à ilha é o transfer, combinado diretamente com as agências de turismo e que podem tirar da sua cabeça a preocupação com a locomoção pelos passeios reservados na ilha, muita gente escolhe essa opção.

Ônibus deve ser sua segunda escolha

Optar pelo transporte público pode ser assustador, mas lembre-se que você está em uma ilha com poucos habitantes, então, não sofrerá com apertos. O ônibus passa por todo o trajeto da BR 363 e custa R$ 5,00 apenas. Você pode ir até um trecho próximo do destino e seguir o caminho a pé.

O micro-ônibus circula por toda a ilha, com cada ônibus saindo de um lugar oposto ao outro. Um sai da Praia do Porto de Santo Antonio, onde acontece a saída de diversos passeios turísticos, e o outro da Praia do Sueste. Funciona das 5 da manhã até as 22 horas, então, você terá bastante tempo para aproveitar.

Uma boa ideia é pegar o ônibus até o Porto de Santo Antônio para curtir o pôr do sol maravilhoso no lugar.

Escolha caminhar sempre

Nos lugares em que o transporte público não tem acesso, você pode descer perto e ir a pé. Separe suas coisas, coloque água e um lanche na mochila e não esqueça do protetor solar e do ingresso do Parque Nacional Marinho, caso tenha adquirido.

Saia para desbravar Noronha. Ao caminhar, você perceberá coisas, detalhes interessantes e novidades da ilha que você não notaria se estivesse em um veículo. Caminhe até onde conseguir e depois pegue um ônibus se precisar.

Pegue dicas com os moradores da ilha, aproveite tudo o que puder e se jogue.

Vale a pena investir em transporte?

Todo transporte é válido. O que você precisa saber é se você tem vontade de curtir um buggy ou aproveitar o ônibus pela ilha.

Uma dica é fazer primeiro uma lista de coisas que deseja visitar e se aventurar em Noronha, depois você confere seu orçamento e o que pode cortar da lista.

Dessa forma, você fará coisas que gosta e economizará também. Mesmo que corte itens, a sensação será de dever cumprido.

9. Passeios e atrações roteirizados

Essa parte é muito difícil, porque existem inúmeros passeios, um melhor que o outro, o que torna uma tarefa dolorosa escolher aqueles que não devem fazer parte do seu roteiro para que sua viagem a Fernando de Noronha esteja dentro do orçamento.

Você pode escolher entre adquirir o ingresso do Parque Nacional Marinho e fazer as trilhas do Atalaia ou dos Abreus. Pode visitar o Projeto Tamar, ir ao parque e ver de perto as tartarugas marinhas, visitar o Museu do Tubarão e conhecer o Mirante do Boldró.

Você pode visitar a Cacimba do Padre, o Morro Dois Irmãos… Destinos não faltam. Por isso, invista em roteiros, pois com eles você dividirá bem o seu dia para aproveitar o máximo que puder.

Procure comprar antecipadamente os ingressos

Além de garantir a sua vaga em passeios e trilhas ecológicas pela ilha, o ingresso antecipado pode te dar alguns descontos. Não custa tentar conferir os preços durante os meses e escolher o melhor momento para comprar seu passeio.

Lembrando que é obrigatória a presença de guias em passeios pelo parque. Não deixe para comprar seu ingresso na última hora para não correr o risco de perder o passeio que deseja.

10. À vista ou cartão?

Assim como vale na sua rotina de vida, escolher o pagamento à vista é sempre a melhor opção. Porém, nem todos possuem o valor em mãos e dependem do cartão de crédito.

Você pode colocar no cartão tudo o que conseguirá pagar até antes de viajar, assim, viaja sem dívidas ou dor de cabeça. Quando chegar em Fernando de Noronha, pode usar o dinheiro que juntou para evitar gastos demais no cartão.

Essas dicas fazem a diferença entre a fatura monstruosa e a paz de espírito ao voltar para casa livre ou com dívidas mínimas. Vale a pena também investir no dinheiro vivo para tentar descontos durante a compra.

11. Dê prioridade a tudo o que for gratuito

Com certeza, a melhor opção para economizar em Fernando de Noronha é escolher o máximo possível de passeios gratuitos.

O passeio de barco, o Ilha Tour e o acesso para ver os golfinhos de perto, por exemplo, são atrações que encantam qualquer viajante e vale a pena colocar em sua lista. Porém, podem não estar no orçamento de todos os viajantes, então, talvez seja melhor deixar para outro momento.

Sendo assim, se você não comprou o ingresso do Parque Nacional, então pode aproveitar todas as praias abertas ao público. Existem muitos lugares incríveis que devem ser levados em conta.

O projeto Tamar também está na lista dos passeios gratuitos, então, invista na taxa de preservação ambiental obrigatória e aproveite Noronha com outro olhar.

12. Equipamentos leves devem estar na mala

Para quem pretende fazer mergulhos e snorkel, flutuações com diversas espécies de peixes e uma grande variedade de fauna marinha, então pense no que você consegue levar para evitar alugar o equipamento na ilha.

Pela lei da necessidade, quando você estiver no passeio e precisar de um equipamento, terá que alugar – e quem for te alugar vai colocar o preço que quiser, já que você terá que adquirir de qualquer jeito ou desistir do passeio, o que é inviável.

Para evitar problemas desse tipo, coloque na mala óculos de natação, snorkel e outros equipamentos leves que podem contribuir para o seu passeio. Uma dica interessante é fazer um checklist com tudo que vai precisar para os passeios e conferir o que pode ser encaixado na mala. Use a cabeça!

13. Invista em presentes e lembrancinhas baratos

Você não pode dizer que vai em um lugar diferente que a família e os amigos pedem logo as famosas lembrancinhas.

Se você não está com o orçamento apertado, então pode se jogar nas lojinhas do centro, do Projeto Tamar, em lojas de artesanato e fazer a festa.

Entretanto, se você está apertado e economizando ao máximo, a opção é apostar em presentes e lembrancinhas o mais barato possível. Leve em conta o peso da bagagem na volta também, para não pagar excesso de bagagem.

Vale a pena garimpar esses presentes. Você pode conhecer mais nativos e as coisas que produzem na ilha, ouvir histórias e se aprofundar no lado histórico cultural.

Perfeita, encantadora e pode ser também barata: tenha mais de Noronha gastando pouco

É inegável a beleza de Fernando de Noronha, afinal, todos que visitam a ilha voltam satisfeitos e ansiosos para a próxima aventura em um dos locais mais bonitos do mundo. Entretanto, para quem deseja economizar, é necessário tomar todas as precauções para poder aproveitar a viagem sem medo de extrapolar.

Como vimos no artigo, a taxa de preservação ambiental é obrigatória e diária, então, considere até o tempo que passará na ilha.

Coisas como passagens aéreas, preço da diária da hospedagem, a escolha das pousadas, os passeios pelas praias, o ingresso que dá acesso ao Parque, são as principais que influenciam no orçamento.

Pense bem na sua alimentação, se café da manhã, almoço e jantar serão feitos em restaurantes ou no hotel. Passeio de barco pelo mar de dentro e Ilha Tour, por exemplo, podem acabar sendo descartados por terem um preço elevado.

Com tudo o que vimos até aqui, é possível conhecer Fernando de Noronha mesmo com orçamento apertado, basta apostar em um bom planejamento.

Além disso, aqui no blog Mala Pronta Noronha, você encontra uma série de outras dicas relacionadas a esse local paradisíaco no Brasil. Portanto, confira nossos outros conteúdos e se prepare para fazer uma viagem inesquecível!

Arrume as malas, separe seu dinheiro e boa viagem!